Por que muitas pessoas não valorizam que está ao seu lado?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Por que muitas pessoas não valorizam quem está ao seu lado? Quem sempre as apoia?

valorizar se

Esses dias, escrevi sobre amizade e acabei parando para pensar que muitas pessoas acabam esquecendo de dar valor a quem mais as apoia. E que, muitas vezes, nós mesmos fazemos isso e nem percebemos.

Quantas vezes não vimos alguém ou até mesmo nós deixamos de dar valor a alguém até que esta pessoa foi embora ou quando ela está prestes a ir, quando já chegou ao ponto de termos que pisar em ovos?

Por exemplo, uma torta: se sabemos que ela vão acabar (porque obviamente vai), acabamos por saboreá-la com muito mais afinco, dedicação e contemplação.

Por outro lado, em termos de relacionamento geralmente apostamos no “para sempre” e quando a coisa fica séria, acreditamos nisso.
Talvez, por conta disso, nos acomodemos. Aquela sensação de “degustar” cada momento acaba se perdendo, embolado nas situações rotineiras e somando-se ao “ah! É pra sempreentão amanhã ou outro dia presto mais atenção, tenho todo o tempo do mundo” e, muitas vezes, é tarde demais.
Será que o segredo de aproveitar ao máximo cada segundo ao lado de quem amamos não está em aprendermos a degustá-los como um pedaço de torta, contemplando-os por sabermos que um dia acabará?
Ou teremos que viver sob a insegurança de perder, sob a ameaça do fim para que possamos valorizar a companhia e o bem que o outro nos traz?
valorizar se
Talvez reclamemos de quem não nos valoriza e, por outro lado, também façamos o mesmo com outras pessoas à nossa volta.
E talvez, se começássemos a valorizar mais quem nos valoriza e menos quem não nos valoriza, também passássemos a ganhar mais valor de quem não nos valorizava, justamente porque ao perder nossa consideração é que essa pessoa passe a fazer questão de resgatá-la.
E assim o ciclo jamais se encerrará e ao final, fazemos parte disso, tanto quanto quem reclamamos, pois nunca seremos capazes de administrar a demanda de valores e desvalorizações em sua dinâmica complexa.
Mas vale a reflexão! E você, o que pensa a respeito?
Beijos e visitem meu blog: logicafeminina.com.br
@ThatuNunes

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.