A mentira e o horóscopo

0
Compartilhe!

Todo mundo sabe que mentir é ruim e pode causar danos irreversíveis, tanto a nós mesmos quanto aos demais.

No entanto, há vezes em que somos quase forçados a mentir. Seriam os casos da “mentira por uma boa causa”, como por exemplo, mentir para alguém em estado terminal para que ela possa curtir os últimos tempos sem a preocupação e o medo de morrer.

Mas o que as mentiras tem a ver com os signos? Será que isso nos prejudica?

 

A mentira e suas consequências

Quando mentimos, óbvio que criamos uma “realidade alternativa” em torno de nós.

Basta pensar que ao mentirmos, alguém acredita e passa a pautar suas decisões e atitudes naquela condição, portanto deixando de reagir legitimamente caso fosse verdade.

Com isso, tudo o que tinha um caminho inicial previamente traçado, passa a ter um caminho diferente e cheio de obscuridades, porque tudo mudou de lugar, de órbita, de resultado dali para frente.

A mentira abre uma espécie de universo paralelo onde começamos a perambular e, a cada passo dado, a verdade tenta nos “sugar” de volta para o caminho inicial e isso vai estremecendo tudo até que finalmente rompe.

E aí é quando ocorrem aqueles terremotos onde alguém descobriu uma mentira e isso gera uma confusão que traz a tona tantas outras situações, até mesmo onde não mentimos, mas que passam a ser realidades frágeis, pois nossa palavra não vale mais o que valia antes.

 

Mas por que é tão difícil dizer certas verdades?

Porque verdades nos obrigam a enfrentar a realidade das reações.

Quando dizemos, por exemplo, que não gostamos de algo em alguém, a pessoa pode reagir de N formas, portanto é melhor dizer que gostamos mesmo sem gostar, porque as chances de uma reação positiva e que nos favorece é muito maior.

Porém, esse consolo da mentira tende a ser em curto prazo. Só até durar a validade dessa mentira que o universo tanto teima em confrontar com a verdade.

 

A mentira e o horóscopo

Quando mentimos, enganamos alguém e também ao nosso destino. Sem falar que, muitas vezes, enganamos nós mesmas.

  • Primeiro, enganamos alguém: a pessoa crê no que é dito e passa a decidir tudo a partir dessa mentira, criando uma série de situações que, se tivesse sabido a verdade, não existiriam. Muitas vezes, boa para nós mesmas, porém falsas.

Um bom exemplo é quando mentimos para conquistar alguém: a pessoa acredita e, aparentemente, fica a fim “de nós”, mas na verdade ela está a fim de quem nos fizemos parecer ser. Ou seja? Uma hora isso vem a tona e tudo desmorona.

  • Segundo, enganamos o destino: como foi dito lá em cima, com uma única mentira, tudo o que era destinado a nós muda. Mudam o cursos das coisas e, pior, das vidas afetadas pela mentira. E isso vai criando lacunas e conflitos até que tudo imploda.

Assim, acabamos mudando nosso destino a cada mentira que contamos ou acreditamos. Mas as que acreditamos, de alguma maneira o universo nos compensa. Já, as que praticamos, ele terá que tirar de nós para compensar aqueles que engenamos.

  • Terceiro, nós mesmos: porque como criamos uma realidade alternativa, acabamos vivendo ela como realidade e pronto. Até esquecemos que mentimos, muitas vezes, de tão real que se torna.

Contudo, o universo nos cobrará pelas mentiras, pois ele precisa compensar quem nelas acreditou. E isso vai ser tirado de quem mente, geralmente na hora que menos espera.

Então, no fim de todas as contas, não compensa mentir.

 

 

Compartilhe!

Comments are closed.